Uma das razões

... pelas quais a esquerda perde é porque faz questão de se sabotar a si mesma, foi uma frase usada contra mim numa conversa de café (bom foi no twiter, mas percebe-se a ideia). Textualmente contra, o termo parece excessivo mas foi mesmo para me calar.

Não percebi a sugestão enunciada na frase e agora que a leio outra vez pior, não a percebo mesmo.

Sempre admiti que ser de esquerda ou de direita nada tem haver com o cumprimento das mais básicas regras da vida em comunidade, de defender regras justas, transparentes e igualitárias (pagamento de impostos) para quem trabalha. Digamos que estamos de acordo com o básico, não queremos ditadores, regimes opressivos, combatemos a pobreza, etc, etc,... partimos de uma base civilizacional comum, pode ser esta enunciada atrás ou outra mais geral (e por isso menos comprometedora) e divergimos a partir daqui. É assim, nada do outro mundo.

O uso do argumento corporativista é que é, para mim, perturbador. Resume-se: "está caladinho porque o gajo que está a fazer isto é de esquerda e como tu és de esquerda tens de estar calado".

Talvez se justifique essa postura actual de certa esquerda no facto histórico da sua perseguição pela ditadura, por medo do desconhecido e porque o adversário seria muito grande, fundado numa época em que a esquerda era mal tratada e por isso, para sua própria sobrevivência, seria necessário um certo clubismo para protecção contra as ameaças externas.

Mas esse tempo passou mas não passou o modo herdado de "combate" político.

Agora essa esquerda passou a ser apenas esquerda obediente, sectária e corporativista que diz que sim por ser, ou por se ser, de esquerda. Está moribunda e de nada nos serve mantê-la viva for old time's sake. Os tempos mudaram e é bom que a esquerda mude também.

Para melhor.

Criado/Created: 18-05-2018 [19:40]

Última actualização/Last updated: 24-06-2020 [09:15]


Voltar à página inicial.


GNU/Emacs Creative Commons License

(c) Tiago Charters de Azevedo