Um argumento sobre o fim do mundo

... tem sempre muitas formulações possíveis, variações para todos os gostos. A que se segue usa um argumento probabilístico e apenas uma hipótese fundamental usualmente chamada de principio Coperniciano, um principio de relatividade: que o lugar que ocupo no universo não é um lugar privilegiado.

Se N for o número total máximo de humanos (nascidos ou ainda por nascer) o principio de relatividade sugere que a posição relativa n de um qualquer nascimento se distribui uniformemente na sucessão de nascimentos, i.e. é igualmente provável nascer um humano no inicio dos tempos ou no fim. Assim a fracção n/N é uma variável aleatória com distribuição uniforme entre zero e um.

Há assim 90% de hipóteses de alguém que nasça hoje ter nascido no último grupo, no grupo dos 90% últimos nascidos. Posso fazer uma previsão usando os dados do world meter (hoje às 13:19:00) e a desigualdade N>10 x 7621351479 (que se obtém de n/N>0.1). No mesmo site retiramos que a taxa de nascimentos por dia é aproximadamente 500000 humanos por dia.

E logo o mundo, tal como o conhecemos, acabará mais dia menos dia em 38106757395000000 dias, ou antes, daqui a 1.5242702958e+16 anos.

Não esquecer de marcar na agenda.

Criado/Created: 18-05-2018 [19:42]

Última actualização/Last updated: 24-06-2020 [09:15]


Voltar à página inicial.


GNU/Emacs Creative Commons License

(c) Tiago Charters de Azevedo