O enquadramento de valores

... não-económicos numa moldura de calculus económico é usualmente construída usando uma análise custo-benefício. Esta análise é geralmente considerada como mais iluminada comparativamente com uma análise típica de oferta-procura e pela ideia de um desenvolvimento progressista e razoável. É até usualmente considerada como uma tentativa não radicalizada para analisar custos e benefícios de coisas que de outra forma não seriam sequer consideradas numa discussão ou modelo económico.

No entanto esta abordagem corresponde a um procedimento no qual o que tem o preço mais elevado é colocado a um preço mais baixo e, por outro lado, aquilo que não tem preço passa a ter um preço associado.

Mas não é isso tudo apenas um falso entendimento das coisas ou uma absurda formulação?

A pretensa de que tudo tem um preço ou, por outras palavras, de que o dinheiro é o mais alto de todos os valores e que não estaríamos melhor noutro quadro conceptual? Não é isso apenas uma fragilidade a que o tempo moderno nos submete?

Criado/Created: 13-06-2018 [22:17]

Última actualização/Last updated: 24-06-2020 [09:15]


Voltar à página inicial.


GNU/Emacs Creative Commons License

(c) Tiago Charters de Azevedo